9 Agosto, 2015

História

A Secção de Karate da Associação Cultural Recreativa e Desportiva do Louriçal (ACRDL) foi criada em Outubro de 1990, após ter sido feito um pedido por parte desta colectividade ao Instituto Karate Coimbra – Associação Regional do Centro (IKC-ARC) solicitando a sua filiação e apoio técnico para o ensino de Karate Shotokan nas instalações da ACRDL.

O pedido foi aceite pelo IKC e a partir de então começaram a ser lecionadas aulas de Karate a cerca de meia centena de praticantes que, atraídos pelas incríveis cenas de combate dos filmes de artes marciais muito em voga na altura, acorreram a inscrever-se para praticar esta tão nobre arte disciplinar. O Karate era visto na altura como uma fórmula mágica que dotaria qualquer indivíduo mais frágil com capacidades extraordinárias de combate que o permitissem defender-se perante qualquer situação de conflito. Porém a realidade do Karate, e ainda bem que assim é, exigia mais das pessoas do que umas simples lições de combate. O Karate requer uma prática bastante exigente através de uma grande entrega física e mental daquele que o pratica. Pelo que, com o avançar dos tempos, o número de praticantes de Karate na ACRDL foi decrescendo, encontrando-se o dojo(1) cada vez mais vazio.

Pela Secção de Karate da ACRDL passaram inumeros instrutores. No arranque da secção os treinos eram dirigidos pelo Sensei José Luis Miranda, actualmente 7º Dan e Diretor Técnico do IKC. O Sensei Diamantino Lobo, actualmente 4º Dan e Diretor Técnico da KAK – Kaizendo Associção de Karate, começou por auxiliar o Sensei José Luis tendo depois acabado por ficar como instrutor responsável. Com o passar dos anos, outros instrutores foram passando pela secção, entre os quais, Reinaldo Pereira, Adérito Jerónimo, José Azevedo e agora mais recentemente, o actual instrutor, Rui Silva.

Durante todos estes períodos, o Karate no Louriçal sofreu melhores e piores momentos, tendo mesmo havido pequenos períodos em que os treinos cessaram devido à falta de praticantes. Porém, com ajuda de alguns membros da coletividade, foi possível voltar a ver novos praticantes ecoarem os seus kyais(2), pelo já velho e usado salão da ACRDL. Desde então, o Karate têm-se mantido com algum custo nesta coletividade, pois a realidade dos dias hoje não favorece a entrada de novos praticantes, uma vez que para muitos jovens, pontapear o colega na Playstation, num jogo de combate, é bem mais fácil do que ter de mover e levantar as pernas na realidade. No entanto, é de louvar os poucos jovens que ainda hoje se descalçam para vir treinar Karate e assim dar continuidade à prática desta arte marcial na Vila do Louriçal.

Em Fevereiro de 2010 a Secção de Karate da ACRDL desvinculou-se do IKC, tendo vindo a filiar-se numa nova organização de Karate, a KAK – Kaizendo Associação de Karate, em Abril do mesmo ano. Este organismo foi criado pelo conjunto de instrutores responsáveis pelas escolas do concelho de Pombal, que à semelhança da escola do Louriçal se desvincularam do IKC.

Esta secção, durante o seu percurso organizou, em conjunto com IKC, e agora com a KAK, algumas atividades a nível regional. Segundo os registos existentes, em Setembro de 1991 realizou-se, pela primeira vez no Louriçal, nas instalações da ACRDL, o Estágio Regional do Centro do IKC. Mais tarde viria a realizar-se também na ACRDL o Campeonato Regional do Centro do IKC. Em 1999 e 2006 a Secção de Karate volta a organizar um Estágio Regional do Centro e, em Março 2005 novamente o Campeonato Regional do Centro. Em Outubro de 2011, o Louriçal recebeu o Sensei Scott Langley, da Irlanda para orientar mais um estágio de Karate nesta vila.

Pela já longa existência no Louriçal, pelas atividades desenvolvidas, pela dinâmica que dá à ACRDL e pelos mais variados benefícios que oferece aos praticantes, a Secção de Karate da ACRDL é merecedora de bastante carinho e respeito por todos aqueles que sempre lhe estiveram ligados. Por todos esses motivos, espera-se que no futuro, a secção possa continuar a crescer, a desenvolver-se no panorama desportivo atual e a ajudar na formação de todos aqueles que praticam Karate, de forma a permitir enfrentar e a superar os desafios da nossa sociedade.

(1) – Espaço onde os praticantes e o instrutor se juntam para praticar Karate

(2) – Grito que expressa a energia libertada num movimento.

Rui Silva

Escrito em 9 de março de 2008. Última atualização em 12 de janeiro de 2016.